www.amigosdatradicao.com.br
 


 
 
Busca
 
 
Menu
  Página Inicial
Vocabulário
  Oração do Gaúcho
  Adágios Gaúchos
  Anedotas de Gaúcho
  Dicionário Gaúcho
  Ditados Gaúchos
  Expressões Gaudérias
Costumes
  Churrasco
  Culinária
  Chimarrão
Cavalos
  Origem do Cavalo
  Nomenclatura
  Pelagem
  Fotos
Cultura
  As Lendas Gaúchas
  Os Mitos Gaúchos
  Danças Tradicionalistas
  Indumentária Gaúcha
  Tradicionalismo
História
  Cronologia Histórica
  Estrutura de um CTG
  Gaúcho e sua Origem
  Princípios Gaúchos
  Comportamento
  Ética Tradicionalista
  O Tropeirismo
  Formação da Estância
  Guerra dos Farrapos
Poesias
Músicas
  Cifras
  Letras
Galeria de Fotos
 
Participe do Portal
 
 
Receba Notícias por e-mail
 
Nome:
E-mail:

Adicionar Remover

 
Registro da Marca
   
Música: Gineteando o Temporal
 

Cm Ab G7 Cm





                               
G   G#  A   Bb

Grita o silêncio da noite corcoveiam os trovões

                                       
Cm

Línguas de fogo lambendo aramados e moirões

    Bb        Ab    
G7                      
Cm

No céu um patrão tropeiro vai remexendo os tições

  Ab                
Ab G7                 
C

E o macegal se ajoelhando como a pedir mil perdões



     C    Dm       
Em    Dm       C    
Cº    G7

E o gado todo mais louco do que a fúria desse vento

                                     
C

Redemoinhando relento a procura de capões

                            
C7                 
F

Relâmpagos que se cruzam retratam por entre as plagas

                     
C        G7          
Cm

Os entre choques de adagas as velhas revoluções

Int.

                                    
G    G#  A    Bb

No horizonte as labaredas vão guasqueando o tempo feio

                                           
Cm

Teatros de assombrações cenário do mundo alheio

       Bb    Ab G7                     
Cm

Boi-tatás e caiporas tropilhas do pastoreio

     Ab           
Ab G7              
C

Meu baio pateando raio o temporal gineteio



    C       Dm      
Em    Dm  C      Cº     
G7

Neste entreveiro matreiro de faísca, vento e raio

                                                 
C

Me agarro as crinas do baio que já nem liga pro freio

                          
C7             F

E uma faísca teimosa lhes come a tala do mango

                       
C         G7                
C

Só por ciúmes deste fandangos partiu minha gaita no meio

Int.

                           
G    G#    A   Bb

Os coriscos vão marcando o longo preto do tempo

                                                
Cm

Com nuvens pançudas de chuva se aninham no firmamento

   Bb     Ab      
G7                    
Cm

A mata inteira valseia num compasso pacholento

     Ab           
Ab G7                    
C

Com fogo se apaga fogo sempre a cabresto do vento



    C        Dm         
Em   Dm   C  Cº        
G7

Por isso um galho extraviado veio tapear meu chapéu

                                       
C

Atiçando um fogaréu nos bretes do pensamento

                               
C7           F

Me apeguei a santa bárbara pra domar o temporal

                   
C     G7                 
C    Ab Bb C Cm

Que sem maneia e buçal ficou na sombra com o tento

 


Artista/Compositor: Os Monarcas

 
Portal Amigos da Tradição - 2004 | 2020 - WebMaster: Jonatan S. da Costa